NOTÍCIAS / Melancia

  • Melancia - Publicada em 19/02/2021

Melancia: hidrata é rica em potássio

China, Irã, Turquia e Brasil são os maiores produtores mundiais de melancia

Leia também:



Por: Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
Notícia atualizada em 19/02/2021

A melancia é originária da África. É uma fruta saborosa, muito apreciada especialmente pelas crianças, visto que possuí um belo contraste de cores. É um alimento saudável, refrescante e hidratante (contém cerca de 90% de água), perfeita para os dias de calor intenso. Sua polpa rica em potássio, sais minerais e vitaminas. Pertence à mesma família da abóbora e do melão. É uma planta rasteira, com folhas grandes e flores pequenas, de cor amarela. Seu ponto de colheita varia em função do tipo de cultivar e das condições climáticas. Normalmente, esse período corresponde entre 65 e 75 dias após o plantio. 

A cultura da melancia passa a contar com Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) para todas as regiões do Brasil. Isso significa que dados sobre probabilidades de sucesso baseados em informações climáticas e nas características regionais estarão disponíveis para interessados em investir nessa cultura nas cinco regiões brasileiras. Os acervos do Zarc embasam análises atuariais e de concessão de crédito agrícola, dando segurança às instituições de seguro rural e bancárias e facilitando acesso do produtor a esses produtos financeiros. Até então, apenas três estados contavam com o Zarc para a melancia, Mato Grosso do Sul, Bahia e Rio Grande do Sul, e todos voltados a sistemas de sequeiro.

A produção mundial de melancia
Dados da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), mostram que China, Irã, Turquia e Brasil são os maiores produtores mundiais de melancia, juntos respondem por 75% da produção. Em todo o mundo são produzidas cerca de 118 milhões de toneladas da fruta. Os principais países importadores são Estados Unidos, Alemanha, Canadá, China e França, que acumularam em 2018, mais de 50% das importações mundiais. No entanto, os maiores países exportadores da fruta não são os seus maiores produtores, nesse ranking, a Espanha está na primeira colocação, seguida por Irã, México, Itália e Estados Unidos.

Informações da AgroStat Brasil, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), demonstram que em 2020, os embarques de melancia no país somaram US$ 44,3 milhões, com 107,8 mil toneladas da fruta, representando 4,5% das exportações de frutas do Brasil.

A produção brasileira de melancia corresponde a 105.064 hectares de área colhida e produção de 2,3 milhões de toneladas. As principais regiões produtoras de melancia do país são o Nordeste e o Sul, que contribuem, respectivamente, com 35% e 18% do total da produção nacional. A região Sudeste responde por 14% da produção nacional.

No Tocantins, a melancia também representa um importante papel para e economia local. O período da safra da melancia naquela região, pois geram cerca de 3 mil empregos. Além disso, dados da Secretaria do Estado da Agricultura, Pecuária e Aquicultura do Tocantins (Seagro/TO), revelam que em 2020, os produtores conseguiram bons preços pelo quilo da fruta, chegando a uma média de R$ 0,60 em alguns períodos da colheita.

Em Mato Grosso do Sul, dados da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul (Semagro), revelam que em 2019, foram cultivados 1.224 hectares de melancia, resultando em uma produção de 22.359 toneladas. A fruta foi cultivada em 39 municípios, sendo Eldorado, Santa Rita do Pardo e Naviraí os maiores produtores estaduais.

Comentários Comente essa notícia4

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos site. Ao visitar nosso portal, você concorda com esse monitoramento e com nossa Política de Privacidade.